Categorias
Combate a Dengue

Combate a Dengue: Saiba Como Combater o Mosquito de Forma Definitiva

O mosquito transmissor da dengue é o Aedes Aegypti. Mas o mesmo mosquito também é responsável por transmitir o zika vírus, chikungunya e a febre amarela.

É considerado doméstico como todos os outros que encontramos, de tempos em tempos, em nossas residências. Devido a isso, as ações de combate a dengue se tornam cada vez mais essenciais.

No Brasil, a situação está cada vez mais alarmante. Neste ano, os números estão se tornando maiores e os casos já passam de 451.685 mil, segundo o Ministério da Saúde.

Este aumento é bastante significativo, diz respeito a 339,9% quando comparado ao mesmo período do ano de 2018 que marcava cerca de 102.681 mil de casos.

Observando atentamente esses dados e colocando a mão na consciência, é possível que haja mudanças no Brasil em relação ao transmissor das doenças com a ajuda de projetos de combate à dengue.

A questão principal é: todos os brasileiros estão realmente preocupados com os surtos regionais? Se alguém demonstra que não ao abordar o assunto, essa pessoa deveria começar a se importar.

O combate a dengue é uma tarefa complicada, mas não impossível. O mais importante é manter as situações regionais no controle, pois ao acontecer os surtos, a demanda que hospitais e postos de saúde recebem são triplicadas.

Portanto, unir-se com vizinhos e parentes para atuar nas ações de combate é uma boa estratégia que vem sendo adotada desde o princípio.

Imagem do Mosquito da Dengue

Breve conversa sobre a Dengue

Sendo considerada uma das doenças que mais gera óbitos no Brasil, a dengue não é uma doença contagiosa, mas uma vez contaminado com o vírus o indivíduo pode passar por momentos nada confortáveis, por isso é importante tratar assuntos sobre a prevenção da dengue.

Os primeiros sintomas costumam ser bem parecidos com os de algumas doenças simples, como a gripe.

Porém, a percepção de que algo está fora do “comum” é notada quando a febre inicial que normalmente ultrapassa 39º graus se vai e as dores no corpo se iniciam com intensidade.

São dores que deixam o indivíduo completamente incapaz de realizar suas tarefas de rotina. Sabendo disso, é recomendado que se estabeleça um repouso para que o corpo não se sobrecarregue.

A sobrecarga física do corpo é prejudicial pois é um fator que pode ocasionar a queda da imunidade.

Não se alimentar também é um grande erro, uma vez que o corpo enfraquecido pode dar espaço para que graus maiores da doença se estabeleça no hospedeiro. A Prevenção da dengue sempre é um bom assunto a ser conversado.

Leia também:

A importância do combate a dengue no Brasil

Como já mencionamos acima, os números sobre a doença transmitida pelo Aedes Aegypti são chocantes e se não tivermos formas certeiras, pode ficar ainda pior. Com 65% de casos ocorrendo no sudeste do país, principalmente em São Paulo e Minas Gerais, os projetos de combate a dengue deveriam ser crescentes.

É claro, o Ministério da Saúde envia todos os dias um agente para conferir as residências, mas nem sempre essa ação funcionará, uma vez que seria essencial a participação de todos, estado-população.

As áreas onde ocorrem as epidemias localizadas são Tocantins, com um dos maiores números de casos seguido dos estados do Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Acre, Distrito Federal e São Paulo.

Os números indicam as possíveis ocorrências de epidemias, mas nem todos os estados podem passar por elas. Estados menores como Espírito Santo e Acre podem haver surtos, e quando o assunto são os estados maiores, as chances de epidemia podem ser quase nulas.

Se houver encontros para o combate a dengue, as chances podem ser reduzidas completamente a zero.

Segundo ao secretário de Vigilância do departamento de Saúde, Wanderson Kleber, do Ministério da Saúde, o Brasil não está vivendo uma epidemia geral da dengue.

Por mais que os números estejam cada vez mais altos, a taxa permanece dentro do previsto. Então, podemos concluir que o país não vive uma epidemia da dengue, por mais que possa ocorrer epidemias em alguns estados.

A elevação do número de casos da doença possui alguns fatores que devem ser abordados. Mesmo estando fora da época de proliferação comum, o verão, de uns anos para cá tem acontecido uma grande mudança sazonal no país, o que pode ter ajudado a aumentar a quantidade dos mosquitos devido às mudanças no meio ambiente.

Essa variação na sazonalidade é um dos motivos de um grande alerta sobre a volta do sorotipo 2, que não havia ocorrências no Brasil a algum tempo.

A variação acaba deixando as pessoas ainda mais vulneráveis. Cerca de 85% dos casos registrados foram do tipo 2 enquanto nos anos anteriores não conseguiam demarcar nem 5%.

Além disso, há outro super conteúdo no site, o Pau de Cavalo. Vale a pena conferir.

Mosquito da Dengue no Braço

Combate a Dengue: Zika Vírus e Chikungunya?

Por vezes essas duas doenças são esquecidas ou pouco mencionadas, mas a importância que elas precisam ter são as mesmas em relação ao combate a dengue. É claro, existem variações da dengue que podem ser fatais, e da mesma forma, acontece com o mau tratamento do zika vírus e a chikungunya.

A ação de combate a dengue não elimina somente a dengue, e sim, todas as doenças que podem ser transmitidas pelo Aedes Aegypti. Com exceção da febre amarela que também pode ser transmitida pelo Haemagogus, mosquito conhecido nas regiões de matas.

No Brasil, os casos de Zika chegam a 3.085 mil e não foram registradas mortes através da doença.

No caso da chikungunya a ocorrência é de 24.120 casos, mas houve uma considerável redução quando comparado com o período similar ao ano passado. O importante acima de tudo é manter-se consciente sobre a situação e ajudar o máximo que puder.

Com os projetos de combate a dengue a situação do país pode melhorar cada vez mais e permanecer com poucos casos da doença. Tem alguns produto como o Detox Caps que podem ser bem úteis.

Se você não sabe por onde começar, inicie pela sua casa, principalmente pelos quintais.

Se você mora na área urbana, reúna pessoas do seu bairro; se mora em área rural, uma simples conversa com seu vizinho pode ajudar a agir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *